UICLAPER com orgulho

Meus livros na UICLAP

capa

(Re)Contos: A Sopa de Pedra

Cada um traz o que tem e coloca no panelão o que pode, transfomando a si, aos outros e à sopa de pedra com pequenas atitudes de boa vontade e um pitada de bom-humor. Esse é mais um dos contos sensíveis desta família autoral que trata da solidariedade e da arte do convívio e do compartilhamento. Afinal, por vezes estamos tão envolvidos em nossos próprios problemas e afazeres que dedicamos pouca ou

Saiba mais
capa

O Tempo e o Ipê

É marcante a descoberta da vida e o desafio de crescer quando desconhecemos o que nos reserva o future. Neste conto, desenvolvemos toda essa fase de dúvidas, inquietações e descobertas de um ponto de vista inusitado e delicado. Nesta história fantástica são apresentadas lições, reflexões e ensinamentos para o auto-conhecimento. Este conto familiar carrega aprendizados de gerações para alguns dos d

Saiba mais
capa

Megalha, Mugalha e o Pé de Abacate

E se fosse possível falar de semelhanças coletivas a partir das diferenças individuais? E se tais desassemelhanças sob o escrutínio da razão se mostrassem não tão desiguais? Como isso nos afetaria? Será que o que nos torna diferenciados, ao fim e ao cabo, não seria nossa capacidade de eliminar diferenças e distinções por meio da mudança interior? Seria isto a tolerância? O desafio de mais este con

Saiba mais
capa

A Esperança Existe

Como ensinar sobre a Esperança? De que maneira explicá-la de forma a experimentá-la? Como cultivar esse belíssimo sentimento? Esta é a motivação por trás desta história sensível e humana para crianças de 3 à 103 anos! Neste Conto Familiar, Papai-Noel (Sim! Ele mesmo!) pela priemira vez responde a cartinha de duas jovens irmãs com uma mensagem recheada de amor e ensinamentos além de uma boa dose de

Saiba mais
capa

A Disciplina da Vida

E se fosse possível tratar da vida como uma disciplina, qual seria sua ementa? Como poderíamos nos preparar (se é que poderíamos)? Ou, o que esperar senão esperança? Este texto bebe da fonte da vida, e dá vida às palavras, por meio da experiência, da vivência, dos ditos e dos não ditos. Não é certeiro nem único, mas certamente é verdadeiro. Obrigado pela oportunidade de compartilhá-lo.

Saiba mais
capa

A Casa Abençoada

Por que encarar Problemas de uma maneira Divertida? Tal como na epígrafe deste livro, às vezes surgem problemas em nossas vidas. A habilidade de lidar com eles é posta à prova. Uma saída que encontramos – que não é nem a melhor, mas também não é a pior – é atacá-los de frente. Desafiando nossa imaginação a transformá-los em novos estímulos, com criatividade e bom humor. Não é tarefa fácil, mas cer

Saiba mais
capa

Para que Serve o Medo?

Imagine poder ser transportado para a terra do medo e divertir-se com as situações mais (in)comuns, descobrindo, por fim, qual o medo do medo? O⁠ medo muitas vezes têm relação com a insegurança que não é uma sensação de conotação boa. Pode, por vezes, nos paralisar e até impedir de realizarmos algumas atividades. Entretanto, o medo não precisa ser um sentimento a ser temido. Ao invés disso pode tr

Saiba mais
capa

A Menina que Diviu o Pôr do Sol

Será que natemática rima com amor? Talvez uma resposta para esta pergunta esteja na própria definição de matemática. A palavra matemática tem suas origens na expressão grega matemathike que significa ‘ensinamentos’. Oras, esinar é por si só um ato de amor que tem lugar quando estão presentes, pelo menos um mestre e um aprendiz, e pouco ou nada tem a ver com idade ou tempo. Nem sempre quem ensina

Saiba mais
capa

A Disputa do Trava-língua

Neste conto, fazemos uma homenagem em forma de brincandeira com a nossa Literatura de Cordel numa irreverente Disputa de Trava-línguas. Nossa heroína, Cordélia, é um nome inventado que carrega uma singela homenagem a uma expressão tão nossa, que empresta de Bilac uma pétala da sua última flor do Lácio, sob a forma de reconto sertanejo: A Literatura de Cordel. De acordo com o Instituto de Estudos B

Saiba mais
UICLAP